Década de 40

Eu que já amava essa década, fiquei mais feliz ainda em desenvolver um vestido de noiva inspirado na década de 40, a convite de uma revista especializada no segmento. Estou aqui elaborando e amando fazer. As mangas são o ponto alto da criação.

Abaixo vocês conferem algumas das imagens que me trouxeram inspiração.

A moda da década de 40 é uma moda adaptada às condições da realidade da época. Em plena guerra, muitos ateliês precisam fechar suas portas e outros continuam os trabalhos como podem, há escassez de material e de mão-de-obra. Porém, o que eu acho mais interessante, é que apesar das adversidades, a criatividade sobrevive e se fortalece. Há necessidade de  reinventar, recriar, reciclar.  O resultado disso é uma moda criativa, honesta e mais funcional. Muitos dos vestidos tinham aberturas laterais para que a mulher pudessem pedalar uma bicicleta. Como os tecidos são mais escassos, a modelagem também chega mais perto do corpo, os tailleurs aparecem com bastante força inspirados nos uniformes  militares e se apresentam como uma roupa utilitária e funcional. Os vestidos de noiva são elegantérrimos. Tanto que se tornaram clássicos.

Aqui no Atelier, os atendimentos acontecem com hora marcada pelos telefones (21) 2227-4830 08 (21) 8559-0888

Pode mandar seu e-mail para: carolnasseratelier@gmail.com

Para curtir nossa página no Facebook clique aqui

Para seguir no twitter: Carol_Nasser

Noivas da Belle Époque

A Belle Époque foi o período que começou no final do século 19 (em torno de 1870) e durou até o início da Primeira Guerra Mundial em 1914.

Nesse período os vestidos tinham a cintura bem marcada, a silhueta sinuosa. Eram belíssimos e ricamente ornamentados.

Eu particularmente adoooro a Belle Époque. E este modelo da foto é um vestido de noiva desse período tão maravilhoso.

Bordados do Museu

Gente, essas são fotos do Museu da Moda de Bath, cidade ao sudoeste da Inglaterra. A cidade é Patrimonio da Humanidade muito conhecida pelos banhos termais, mas além disso abriga um museu de moda muito bacana.

Quando estive lá, em junho deste ano, tinha uma exposição de noivas de época. Revisitando minhas fotos, separei umas interessantes para compartilhar. Reparem nos detalhes, bordados, recortes, aplicações. Lindo, não??

Ah, as fotos só existem porque era permitido. É um museu de estudo, é possível você tocar nas peças e ter acesso aos trajes originais, com agendamento prévio, claro. Uma riqueza só!!!! Eu adorei a visita e acho que vale muito a pena.

Nova Votação

O vetsiodo de noiva Carol Nasser  usado por Aninha (Juliana Boller) da novela Paraíso, está concorrendo agora com outros vestido usados na novela. Será eleito o mais bonito!!!!

Com 45% dos votos, já estamos na frente, já se pode ver o resultado parcial da votação.

Para computar o seu voto entre no site da novela por esse link   http://paraiso.globo.com/

Desde já agradeço a colaboração e o voto!!!!

casamentoaninha1

Cristóbal Balenciaga ( 1895-1972)

Nascido na Espanha começou muito cedo a trabalhar com alfaiate em sua terra natal. Foi para Paris entre 1936, 1937.

Era um estilista completo, podia desenhar, cortar, armar e costurar suas criações. Sua rouopas costumavam ser formais e muito elegantes. Era conhecido como o arquiteto da moda.

Desde 2001  a Balanciaga pertence ao grupo Gucci, e o estilista responsável é Nicolas Chesquière

balenciaga

mainBgBalenciaga

Cristóbal Balanciaga

Cristóbal Balanciaga

“La Gazette Du Bon Ton”

La Gazette Du Bon Ton uma revista de moda, criada em 1912, era direcionada p/ a elite da época. Feita num papel de boa qualidade, trazia ilustrações do melhores costureiros. Não  falava só de moda, mas também de lifestyle e beleza.

O título da revista é baseado no conceito francês de elegância, requinte e bom gosto. Seu objetivo era também dar a moda um status de arte, assim como a pintura, escultura e o desenho.

“A roupa de uma mulher é um prazer para os olhos que não pode ser considerado inferior ao de outras artes.”  Esta frase foi tirada do primeiro editorial da revista.

Capa da Gazette

Capa da Gazette

Robe du soir de Paquin

Robe du soir de Paquin

Lucien Lelong (1889-1958)

Nasceu em Paris. Seus pais tinham uma loja de tecidos que ele daria continuidade.

Quando estava criando sua preimeira coleção, foi convocado p/ o exército.Participou da Primeira Guerra Mundial. Só depois da guerra sua estréia foi possível.

Lelong ficou conhecido pelo excelente acabamento de suas  roupas e pela qualidade dos tecidos que usava. Bem antes de Dior,  ele propôs a saia rodada e a cintura no lugar, isso por volta de 1939 ( Dior só lançaria o New Look em 19947)

Foi casado com a princesa Natália Povlovna Paley da Rússia. Natália era socialite e atriz, depois  passou a ser modelo as campanhas do marido.

Lelong foi presidente da Câmara Sindical da Alta Costura de 1937 á 1947, e conseguiu impedir a transferência das maisons de Paris p/ Berlim quando os militares alemães invadiram Paris.

Graças á Lelong Paris continuou sendo o berço da moda.

 Natalie Paley ( seu nome artístico)

Natalie Paley usando uma das crianções de LelongLucien Lelong
Lucien Lelong

Lucien Lelong

Casamento de Natália e Lelong. 09 de agosto de 1927. O vestido de Natália é criação de Lelong

Casamento de Natália e Lelong em 09 de agosto de 1927. O vestido de Natália é criação de Lelong

“Anos Loucos”

O período pós-guerra fica conhecido na França Annés Folles (Anos Loucos). Nessa época os criadores tiveram que se adaptar ao novo mundo. Pessoas que antes eram bem estabelecidas, mudam de faixa social.  A alta-costura volta-se, então, para uma nova clientela: atrizes, atores, escritores, e americanos que enriqueceram com a guerra.

O novo público frequentava boates da moda, onde o jazz fazia sucesso.O bairro de Montparnasse em Paris tornou-se o bairo da moda, onde os artistas se instalaram.

As mulheres queriam independencia, além de fumar e dirigir automóveis. Surge o estilo à la garçonne ( cabelos curtos, seios achatados, cintura baixa). A moda passa  a misturar componentes masculinos e femininos.An%C3%B3nimo[1].+1929Louise Brooks4

Gabrielle Coco Chanel (1883-1971)

Chanel, no meu ponto de vista foi a maior visionária da história da moda. Ela conseguiu prever o que seria a mulher do sec xx, e adiantar-se às suas aspirações. As bolsas de correntes douradas  ainda hoje estão em várias vitrines, além do pretinho básico que todo mundo tem no armário, e o chemisier ( vestido camisa) que também é uma peça chave, são criações dela

Aos seis anos de idade perde a mãe e é abandonada pelo pai, então passa a viver num orfanato, sai aos dezoito e vai ser vendedora numa loja de prêt-à-porter. Depois começa a fazer chepéus, roupas e acessórios.

Chanel desconstruiu peças tipicamente masculinas, recriando e adptando ao guarda-roupa feminino. Fez isso com muita habilidade e bom gosto. Seus amantes eram fontes de inspiração. A calça comprida antes só usada por homens, virou peça do closet feminino por obra de Chanel.

Seu estilo simple e elegante fez revolução e criou adeptas no mundo inteiro.

Tailleurs de tweed

Tailleurs de tweed

Bolsa de corrente

Bolsa de corrente

Chanel- Sempre vestida com suas criações

Chanel- Sempre vestida com suas criações

Atelier Lesage

Lesage é um atelier de bordados que criou e executou maravilhas para os nomes mais importantes da Alta Costura  como Saint Laurent, Givenchy,Esla Schiaparelli . Até hoje mantem as agulhas funcionando. Faz trabalhos para Chanel, Dior, Lacroix Thierry Mugler entre outros.

Tudo começa em 1924, quando Albert Lesage compra a oficina de bordaos de Michonet fundada em 1858, e se instala em Paris. Em 1949 com sua morte, seu filho François assume o atelier e dá continuidade ao trabalho.

Hoje existe também  a Escola Lesage, que ensina a técnica  de um dos bordado mais bem feitos do mundo.

Vestido Balenciaga 1961 bordado pelo Atelier Lesage

Vestido Balenciaga 1961 bordado pelo Atelier Lesage

 

François Lesage

François Lesage

Elsa Schiaparelli (1890-1973)

Elsa Schiaparelli  era o que podemos chamar de excêntrica. Suas criações foram totalmente inovadoras. Usava cores fortes, e formas inusitadas. Criou chapéu em forma de sapato, bolsa telefone,e vestido onde os bolsos tinham forma de gaveta.

Suas coleções tinham tema, sendo que as mais famosas foram as inspiradas no circo e em instrumentos musicais.

Como suas roupas eram muitos extravagantes era preciso coragem para usá-las. Poucas mulheres da época se aventuravam. Mas Elsa também tinha uma linha, digamos, menos excêntrica onde as criações eram marcadas por bordados feitos pela Maison Lesage ( que existe até hoje).

Usava em suas peças botões que eram verdadeiros bibelôs, alguns feitos artesanalmente em cerâmica. Também foi das primeiras estilistas a usar o zíper.

Elsa era amiga íntima de Salvador Dalí, com quem fez aluns trabalhos em parceria. Ela acreditava que a moda não podia estar desvinculada da evolução da artes plásticas. E não tava errada

Chapéu-sapato

Chapéu-sapato

Bordado de Schiaparelli

Bordado de Schiaparelli

Elsa em sua mesa de trabalho

Elsa em sua mesa de trabalho

Madeleine Vionnet (1876-1975)

Vionnet ficou famosa por usar o corte enviesado. Foi a primeira a utilizar essa técnica. Para confeccionar suas peças no viés precisava encomendar os tecidos com dois metros de largura. Usava mini-manequins de madeira p/ elaborar os modelos.

Seu objetivo era obter forma e caimento suaves. Era muito procurada por atrizes e foi considerada uma das estilistas mais inovadoras de sua época.

Trabalhou na Maison Doucet de 1907 até abrir sua própria maison em 1912, que esteve de portas fechadas durante a Primeira Guerra.

“Comparada a Chanel, Vionnet é ainda hoje uma desconhecida, talvez porque produzia Rolls Royces, enquanto Chanel foi o Ford da moda.” (Autor desconhecido)

Vionnet trabalhando

Vionnet trabalhando

Forma e caimanto suaves. Modelos Vionnet

Forma e caimanto suaves. Modelos Vionnet

Maison Doucet (1853-1929)

Em 1871  Jacques Doucet abriu  em  Paris um dos primeiros espaços de alta costura. A loja na verdade já existia desde 1916, era da família de Doucet e vendia apenas lingerie. Poiret e Madeleine Vionnet (próximo capítulo) trabalharam na Maison Doucet  antes de criar suas etiquetas.

A clientela era composta por atrizes e mulheres da alta sociedade de todo o mundo. Nessa épocas as chiquérrimas e ricas iam á Paris fazer compras.

Doucet era amante e colecionador de objetos  de arte ( quadros, desenhos,esculturas), tirava daí a inspiração para criar suas coleções. 

Mas tarde adquiriu telas de Manet, Cézanne, Degas, Van Gogh.

Gostava de tons pasteis, sedas, cetim, rendas e musselines.

Etiqueta

Etiqueta

Vestido Maison Doucet

Vestido Maison Doucet

A queda do espartilho ( Paul Poiret 1879-1944)

Foi Paul Poiret em 1906 o causador da primeira grande revolução da moda feita por um estilista (na época chamado de costureiro). Ele livrou as mulheres de uma peça muito incômoda e usada por todas as mocinhas elegantes: o espartilho.

Suas criações eram mais soltas, feitas com tecidos mais leves, cintura mais elevada. Esse novo estilo ganhou o nome de diretório.

Abaixo duas mocinhas da época com seu modelitos Poiret

Paul Poiret dresses

poiret1912

%d bloggers like this: